Clique Aqui
 Aventuras de família numa autocaravana; De Portugal a Alemanha, passando por 7 países - Portal Cordero Virtual
07/02/2019 13:33:17

Aventuras de família numa autocaravana; De Portugal a Alemanha, passando por 7 países

O filósofo e jornalista Fabiano de Abreu relata sua excursão por alguns países da Europa com sua família em uma autocaravana, que era seu meio de transporte e sua habitação.

Muitas pessoas sonham em viajar pela Europa, conhecer vários países e viver uma grande aventura em familia. A bordo de uma autocaravana, o filósofo e jornalista Fabiano de Abreu(37) resolveu sair de férias com a família e excursionar pelo Velho Continente: "eu a minha esposa, Jennifer de Paula(26), grávida de 5 meses (baseando na data da viagem) do Nicolau, resolvemos aproveitar os dois meses de férias dos nossos filhos, Gabriela Rodrigues (8) e Brandon de Paula (9), para fazer um tour na Europa, para que conheçam outros países e entendam culturas e naturezas variadas. Como uma aprendizagem divertida”. 

Para garantir a diversão de toda família, Fabiano optou por fazer o roteiro a bordo da autocaravana, que lhes oferecia estrutura de dormitório, casa de banho e cozinha: "A empresa Cascatas&Aventuras cedeu-nos uma AutoHome ou Autocaravana, com uma cama de casal, um beliche, casa de banho com ducha e sanita, aquecedor, fogão, forno microondas e toda estrutura”.

Roteiro de Viagem

1- Madrid

A família saiu de Coimbra, em Portugal, rumo a esta grande aventura, e levou consigo também o pet da família, Floki, que garantiu também a diversão das crianças durante o trajeto. O primeiro destino foi Madrid, em Espanha: "Madrid fica a apenas 5 horas de Coimbra. É uma cidade grande, com gente de todos os países, mas que preserva na arquitetura e na cultura características bem definidas. São mais de 3 milhões de habitantes, mas não tem-se a sensação de estar sufocado por toda gente, com exceção das áreas turísticas”.


2- Barcelona

"Barcelona é uma cidade incomum com uma arquitetura única, a grande maioria de Gaudí, com sua arquitetura inigualável. É uma ótima cidade para jovens e apreciadores da cultura, extremamente linda Barcelona. Uma cidade que vale conhecer”.


3- Andorra

O pequeno país entre Espanha e França impressiona com suas paisagens de rara beleza: “Rasgamos o centro-sul da Espanha, com sua natureza desértica, céu aberto e uma temperatura não muito diferente de Portugal, entre 3 a 12 graus celsius, a depender da hora do dia. De Barcelona fomos ao principado de Andorra, que é bastante bonito e com uma arquitetura contemporânea e romântica. Para mim, um dos lugares mais bonitos que já visitei na vida. O típico lugar que até os que não gostam de repetir, poderiam ir novamente. Meu voto é para Andorra como um dos lugares mais bonitos do mundo”.


4- Pirineus

Os Pirenéus são uma cordilheira no sudoeste da Europa cujos montes formam uma fronteira natural entre a França e a Espanha a contar com Andorra. Separam a Península Ibérica da França, e estendem-se por aproximadamente 430 km, desde o golfo da Biscaia, no oceano Atlântico, até ao cabo de Creus, no mar Mediterrâneo. As belezas naturais são incríveis com aquela linda paisagem de filme dos picos brancos de neve.


5- Sul da França

“Cruzamos o sul da França, por regiões e cidades como Toulouse, Montpellier, Marselha para subir pelos alpes através de Gap. O sul da França é uma mescla de muita história mas de abandono. Pichações em paredes, placas derrubadas, viadutos sem manutenção, parece um mundo pós apocalipse. E o que menos vi foram franceses. Africanos, árabes, indianos, como um país invadido e sem identidade. 

Defino o sul da França como: Uma grande história escondida em meio aos escombros e lixo do abandono. A sensação de insegurança é grande por isso decidimos avançar logo rumo ao centro do país, sentido Suiça, e por isso, não há muitas fotos.


6- Alpes Franceses

A caminho da Suíça optei por fazer o caminho dos Alpes a partir da França, passando pela Itália e de lá entrando na Suíça. Assim conheceria os Alpes dos três países a começar pela cidade de Gap, na reserva de Écrins National Park na França, não muito distante de Mont Blanc, nos Alpes franceses.


7- Alpes Italianos

A fronteira franco-italiana estende-se ao longo de 488 km, a sudeste da França e noroeste da Itália. Começa no noroeste na tríplice fronteira França - Itália - Suíça (45° 55? 23? N, 7° 02? 40? L), no cume do monte Dolent (3 820 m de altitude), na comuna francesa de Chamonix-Mont-Blanc (departamento de Alta Saboia), comuna italiana de Courmayeur (Vale d'Aosta) e na cidade suíça de Orsières (cantão de Valais).

A fronteira segue depois uma direção geral para sul, até ao mar Mediterrâneo, que atinge entre Mentonem França e Ventimiglia em Itália. A linha separa três regiões italianas (Ligúria, Piemonte e Vale de Aosta) e quatro províncias (Vale de Aosta, Cuneo, Imperia e Turim) de duas regiões francesas (Provence-Alpes-Côte d'Azur e Ródano-Alpes) e cinco departamentos (Alpes-de-Haute-Provence, Alpes Marítimos, Hautes-Alpes, Alta Saboia e Saboia).


8- Turim e Milão

Eu poderia ir para o destino final, a Suíça, pela França, mas preferi passar pela Itália que tem todo um significado especial. Me formei em italiano quando novo, como admirador da cultura e da história. Itália é a capital do império que nos formou e cada canto do país vemos Roma. Minha filha descende de italianos pela família da sua mãe e no Brasil, convivemos com milhares de descendentes italiano e sua cultura está evidente no país. Por isso, passar em Turim e ver o estádio da Juventus do conterrâneo Cristiano Ronaldo, da terra de minha herança genética, Ilha da Madeira. E passar por Milão e conhecer essa linda cidade repleta de cultura e história. Vale a pena conhecer a Itália e este país onde encontra-se, a meu ver, o maior número de gente bonita por metro quadrado.


9 - Suíça

Estivemos em Berna, Zurique, Basiléia e Genebra que foi o caminho de volta, fronteira com a França. Suíça era mais ou menos o que imaginei, um lugar bastante desenvolvido e com uma beleza incrível. Foi onde vimos mais neve cair do céu mas, não foi onde nos divertimos mais na neve. A Suíça não faz parte da UE mas aceita o Euro e isso facilita bastante. Os preços não são tão mais caros que na França mas a vida é muito mais cara que em Portugal.


10- Alemanha

Eu não poderia estar na Suíça e não passar na Alemanha. Um país com muitas histórias antigas e recentes e com estradas de dar inveja a qualquer outro país. E os bueiros? Dá vontade de mirá-los e passar de carro por cima, não faz efeito, são perfeitos. Estar no interior da Alemanha e viver a essência da verdadeira cultura é magnífico. Cada canto parecia um filme da segunda guerra. E para os amantes de um bom carro, é o lugar ideal.


11- Regresso à Suíça

Da Alemanha voltamos à Suíça, para Genebra e de Genebra começamos nosso regresso pelo centro da França. Se o sul da França era um mundo pós apocalíptico, no Centro não, já tinha mais cara de França. Lá foi onde as crianças mais se divertiram na neve. Pela consistência da neve em um dia lindo, com a temperatura de -2°C a 2°C mas bastante confortável, final da tarde chegou a -10°C. Foi lá onde nos deparamos com um lobo selvagem, bastante comum na região. Uma região com muitas reservas florestais e fazendas. Beiramos a Réserve naturelle nationale de la Haute Chaîne du Jura sentido Mâcon.


12- Interior e Centro-Sul França

Traçando a reta centro-sul da França, pós Lyon, atravessamos os parques naturais (Parc Naturel Régional de Millevaches en Limousin) e (Périgord Natural Regional Périgord Limousin). Em Clermont-Ferrand pegamos áreas congeladas com sensação térmica abaixo de -5. Foram 200km de distância a 30km/h quase sempre deslizando nas curvas da estrada que mais parecia uma pista de patinação. A caminho da Espanha passamos por lindas regiões de fazendas onde pudemos experimentar um bom patê foie gras legítimo, bem diferente desses comprados nos mercados que se dizem originais. Pudemos ver uma arquitetura legítima francesa do interior de uma região de fazendas com diversos dos mais famosos produtos franceses que conhecemos em todo mundo. No mercado, uma variedade absurda de produtos para um 'queijos e vinhos' que não tem comparação com os que podemos ter no Brasil ou em Portugal.


Depoimentos

Os filhos do casal, Gabriela e Brandon, apontaram o que mais gostaram nesta aventura de autocaravana

“Viajar de auto caravana é bom, gostamos muito porque tem tudo e não precisamos dormir em hotéis. Barcelona foi o melhor lugar, a festa dos reis, muitos doces, balões de gás e pessoas bacanas”. 

“A melhor neve foi na França, aonde nos divertimos mais. Mas eu gostei muito da neve a cair na Suíça, muito bonita”. 

“A melhor comida foi na Alemanha, macarrão com atum e linguiça alemã, e que tinha também a melhor sobremesa. Mas em Portugal tem mais comida e mais doces."

Foto(s): Fabiano de Abreu
Fonte: MF Press Global

ÚLTIMAS NOTÍCIAS


2001-2019 - Portal Cordero Virtual
CNPJ: 24.503.804/0001-71