Este site utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com as nossas Políticas de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

REALIZAR BUSCA
REALIZAR BUSCA
 Casa da Agricultura de Cordeirópolis: da criação à instalação (1957-1962) - Portal Cordero Virtual

Casa da Agricultura de Cordeirópolis: da criação à instalação (1957-1962)

16/07/2017 12:13:44
Em 1954, o então governador Lucas Nogueira Garcez, através do Decreto nº 23.648, de 16 de setembro, definiu a divisão territorial do Estado de São Paulo, com relação à organização da agricultura, onde deveria haver delegacias, setores e regiões agrícolas. Inicialmente, Cordeirópolis passou a pertencer à Delegacia Regional Agrícola de Campinas, ao Setor Agrícola de Piracicaba e à Região Agrícola de Limeira. 

Pesquisando nos Diários Oficiais da Assembleia, encontramos um pedido do então deputado Paulo Ornellas de Carvalho Barros (PTB), para criação de uma Casa da Lavoura (depois chamada de Casa da Agricultura) no município de Cordeirópolis. 

A indicação nº 1920/54, encaminhada à Secretaria da Agricultura do Estado, recebeu a resposta desta repartição, indicando que a instalação destas unidades seria gradativa, devido à falta de recursos para admissão de engenheiros agrônomos e aquisição de equipamentos, lembrando que desde o início das atividades destes estabelecimentos, tinham sido criadas somente 150 destas Casas. O deputado Ornellas ficou conhecido como defensor dos interesses da agricultura e seu nome é vinculado à denominação da Escola Técnica Estadual de Garça. 

Em 26 de fevereiro de 1957, já no governo de Jânio Quadros, através do Decreto nº 27.589, foi criada, dentre outras, a Casa da Lavoura de Cordeirópolis, exteriorizando o estabelecimento da “Região Agrícola”, desmembrada da de Limeira. 

Segundo o decreto, “o Departamento da Produção Vegetal, da Secretaria de Estado dos Negócios da Agricultura” iria promover em colaboração com a Prefeitura, a instalação das respectivas Casas da Lavoura. Em 24 de março de 1957 oficializou-se sua criação, sendo instalada em 1º de janeiro de 1958 em prédio alugado pela Prefeitura, à Rua Toledo Barros nº 20, próximo à sede da Prefeitura. 

Num período em que a cidade ainda tinha mais população rural que urbana, com grandes fazendas empregando a maior parte dos trabalhadores da cidade, a oportunidade de dar uma sede própria à Casa da Lavoura apareceu através da Lei nº 240, de 17 de maio de 1960, emitida pelo então prefeito Jamil Abrahão Saad (PSP), que autorizava o município a assinar “contrato de empreitada” com o IPESP (Instituto de Previdência do Estado de São Paulo), para construção do prédio destinado ao seu funcionamento, previsto para ser inicialmente na Avenida Presidente Vargas, esquina com a Rua 13 de Maio, no “loteamento da Prefeitura Municipal”, atualmente a Vila Nova Brasília. 

No mesmo dia, foi assinada a Lei nº 241, que doava um terreno de 750 m2, para a que obra pudesse ser feita. Além desta, foi aprovada outra lei, de n. 244, para doação de terreno para um posto de saúde. Estas leis foram revogadas posteriormente em 1961, por iniciativa do então prefeito Cássio de Freitas Levy. 

Posteriormente, a prefeitura alterou a lei de autorização do contrato de empreitada, destinando um terreno na Avenida Presidente Vargas, mas entre as Ruas Guilherme Krauter (naquela época chamada “Nova da Paz”) e Profª Aita Bentivegna Dias (naquele tempo denominada de “Rua 1”) para a construção da edificação. 

Conforme documentação arquivada na própria Casa da Agricultura, são comunicados, especialmente durante o ano de 1962, os passos em que se encontravam a construção da sede própria. 

Em 2 de fevereiro, o responsável informa ao Delegado Regional de Limeira que teria sido realizada a “inspeção da construção da Casa da Lavoura de Cordeirópolis, encontrando-se a mesma coberta e com revestimento das paredes.”

Trinta dias depois, foi informado pelo agrônomo responsável que “o revestimento das paredes já foi concluído e está sendo iniciado o assoalhamento”. Em 31 do mesmo mês, foi informado que “as obras da Casa da Lavoura” estavam em fase final de acabamento, destacando-se a fase final da pintura, o breve início da colocação dos vidros e o levantamento parcial dos muros. 

Durante o mês de abril, não foram encontrados ofícios encaminhando quaisquer manifestações, mas, finalmente, a 1º de junho de 1962, foi comunicado ao mesmo Delegado Regional “que as obras de construção da Casa da Lavoura de Cordeirópolis estão finalizadas, sendo iniciada a limpeza da mesma.” 

Quinze dias depois, no sábado, 16 de junho, é informado que a partir deste dia a Casa da Agricultura passaria a funcionar em prédio próprio, situado à Avenida Presidente Vargas, nº 661, Vila Nova Brasília, onde está até hoje. 
O último ato relacionado à implantação da Casa da Agricultura foi a edição da Lei nº 331, de 3 de agosto de 1962, onde o então prefeito de Cordeirópolis, Cássio de Freitas Levy, foi autorizado a “gastar no que bem entendesse” o saldo proveniente da construção da Casa da Lavoura, executada por empreitada pelo Município. 

Ainda assim, no fim de 1962, o Diário Oficial publicou resultado de licitação em que o Governo do Estado autorizou o fornecimento de persianas para este prédio público. Estas persianas foram pagas durante 1963, conforme comunicado da empresa “Columbia”, que solicitava envio de ofício padronizado à Comissão Central de Compras do Estado. 

É justo, como já dissemos há cinco anos, que em 2017, como foi feito em 2012, seja comemorado o aniversário do final da construção e início das atividades da sede própria da Casa da Agricultura de Cordeirópolis, rendendo homenagem à memória dos funcionários que por lá passaram, especialmente por terem preservado documentos tão importantes que nos permitiram recuperar estas preciosas informações.  

Para a feitura deste texto, devemos agradecer a todos que mantiveram preservadas as correspondências relacionadas à Casa da Agricultura, desde seu início, permitindo a oportunidade de manusear estes raros documentos.  Devemos também agradecer à Imprensa Oficial do Estado (Imesp), por ter digitalizado os Diários Oficiais desde 1891 e ao site “Jusbrasil” por proporcionar a pesquisa por termos nestes arquivos digitalizados. 

*Versão pouco modificada de texto publicado anteriormente na imprensa local
 Revivendo História - Portal Cordero Virtual
Revivendo História
Por: Paulo César Tamiazo - Historiador - MTE nº 713/SP
Revivendo a Historia publica artigos periódicos sobre os mais variados temas da História de Cordeirópolis - https://orcid.org/0000-0003-2632-6546
Compartilhe:
MAIS ARTIGOS DESTE COLUNISTA

Outras Colunas:
Os conteúdos publicados por colunistas ou visitantes no Portal Cordero Virtual não expressam a opinião do Portal Cordero Virtual, sendo de responsabilidade de seus autores. Clique aqui e veja os Termos e Condições de Uso do Portal Cordero Virtual.

2001-2022 - Portal Cordero Virtual
CNPJ: 24.503.804/0001-71